domingo, abril 17, 2011

Romântica

Doralice era uma menina muito bonita.
O seu problema é que era muito romântica.

Antes de ter o seu primeiro encontro, escrevia cartas de amor para si própria. Imaginava os traços, os jeitos e os porquês e detalhes de seu amado.
Doralice sonhava com seu príncipe encantado.

Um dia, Dora saiu com Augusto, 1,75, 17 anos, as 17h e pouco da tarde. Pronto. 17 era o seu número com Augusto. Guardou tudo que tinha o número 17.
Depois foi a vez de Carlinhos, o futuro professor de biologia. Pronto. Estudava fotossíntese e genética sem parar.

Cada vez mais, Dora queria guardar algo de seus namoradinhos. Do David, ficou a mania de mascar chicletes; do Paulinho, o ingresso do cinema; do Zé, um fiapo de cabelo.
Até que um dia  Dora resolveu guardar tudo.
Quando Pedro beijou sua mão direita, Dora nunca mais a lavou.
Quando Nando tocou suas coxas, Dora nunca mais colocou calça.
Quando Gabriel falou em seu ouvido, Dora nunca mais ouviu música.
Depois do abraço de Fernandes, Dora só tomava banho para lavar os cabelos, até  quando Vitório agarrou a moça pelos cabelos e ela desistiu de vez.

Os meninos começavam a lamentar:
'Uma menina tão bonita...'
'Dizem que é superstição pra casar!'
'Dora quer que eu te compre um perfuminho?'

Mas, Dora nem ligava, tinha todas as lembranças intactas de seu amor.

Até que foi o dia do seu primeiro beijo 'sério' com Gustavo, o Tavico. E a sentença de nunca mais escovar os dentes.
Dali em diante, Dora ficava feliz com todas as suas lembranças.
E passou a vida lembrando, sua única companhia eram as moscas.

2 comentários:

  1. Gabizinha...muito bonitinho...cuidado com as moscas...rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. muito bom! adorei, hehe
    beijos sofia =)

    ResponderExcluir