terça-feira, maio 19, 2015

hipo(s)

santa tereza, oitenta e dois metros quadrados, lençóis e muitos deles estão no armário, o filho de alguém que mora perto não para de chorar, um bar funciona, são cinco e é quase de manhã, o livro do leonard cohen não foi lido, o ronco é seu, a sinusite é minha, respiro sutil como um hipopótamo num tanque fervendo, o norte é cada vez mais longe, a luz do carro passando na rua passa pela persiana fazendo um frizz acende apaga que me lembra a primeira memória que tive na infância, hipopótamos saem correndo e me esmagam, o ronco ainda é o seu, a criança não é nossa e chora, santa e poucos metros quadrados, a umidade aumentou a sinusite, nossos pelos pelo banheiro, a presença do gato que nem tá por perto, o bêbado grita em um beco escuro do mundo, sufoco a minha cara no teu peito, como os pêlos, me sujo inteira, dentro de você eu grito desculpa por ter chegado atrasada no cinema terça-feira meu amor, me penduro no parapeito da janela, não sinto os ossos que os hipopótamos e depois os elefantes - sim, era uma fauna louca - sem pena fatiaram, dance me to the end of love, solto o parapeito, o bêbado ainda grita, e o ronco é seu.  


segunda-feira, maio 04, 2015

cozinha planejada

cozinha planejada
lista de compras planejada
dieta planejada
receita planejada
faxina planejada
renda planejada
tarefa da semana planejada
meta do mês planejada
vida social planejada
mulher planejada

inspira um filme sobre o tédio, mulher moderna e dificuldade de comunicação na era virtual que te faz premiado pelo mundo.