segunda-feira, julho 26, 2010

Parede em branco

Fui liberada a escrever na parede do meu quarto e isso soa quase como quando eu beijei pela primeira vez ou como eu penso que seja pegar uma carteira e ver que eu tenho 18 anos e posso fazer o que me der na telha.

Eu fui uma criança que fazia muita zona e birra, pintava o cabelo das barbies, fazia comidinha com papel picado e jogava banco imobiliário sozinha, mas, que nunca escreveu nas paredes de casa. Nem se sentia tentada a isso. Nunca fui incluída naqueles comerciais de TV com crianças brincando na lama ou que precisassem de Biotonico para comer, e muito menos minha mãe foi incluída naquelas mães que precisavam limpar as paredes de seus pequenos Van Goghs .

E hoje, burra velha de dezesseis anos, eu tive uma conversa séria com meu pai sobre “dar vida” as minhas paredes. Ele não deixou, mas, dai eu escrevi umas frases como“Take advantage of the season to take of your overcoat” e “Panis Et Circenses” bem grande e ele falou alguma coisa sobre depois eu vou ter que pintar toda essa merda e acabou liberando.

Agora que eu dei o primeiro passo, estava aqui pensando com os meus borbotões “what the fuck” eu quero botar na parede, se eu não desenho nem um pouco bem e não tenho pretensões de colocar frases minhas, até porque elas são tão passageiras quanto esse minuto agora. E continuo pensando porque não sei ainda o que quero. Só as cores de canetinha que eu quero, mais nada.

Tenho agora uma parede que precisa de significados. – uh, que filosófico, hum - Aceito sugestões.

3 comentários:

  1. é mto bom estar perto das tuas idéias!
    não deixe de escrever,é um pedido.(se for nas paredes me chama pra ver!)

    ResponderExcluir
  2. Bom texto, Gabi.. pinte o rosto do luan santana com sua frase mais inteligente: "Te dei o sol, te dei o mar pra ganhar seu coração. Você é raio de saudade, meteoro da paixão."

    Vai ficar BÁRBARO!

    ResponderExcluir